Boi Gordo
R$ 219,55
07/07/2020
Soja (sc)
R$ 109,85
07/07/2020
Dolar
R$ 5.3847
07/07/2020
NOTÍCIAS / Amop

  • Data de publicação: 05/03/2020

Amop cria comissão para atuar na reabertura da Entrada do Colono

A Estrada do Colono foi fechada pelo Ibama em 12 de outubro de 1986. Desde então, sociedade e políticos buscam reabertura

Líderes políticos das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná se uniram no dia 20 de janeiro, na sede da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná), em Cascavel, para se manifestar a favor da reabertura da Estrada do Colono, que liga as duas regiões através do Parque Nacional do Iguaçu.
Uma comissão de prefeitos foi criada para discutir o assunto e buscar interceder politicamente junto ao Senado da República, onde tramita proposta de reabertura da Estrada-Parque. Fazem parte da comissão os prefeitos de Jesuítas, Junior Weiller; de Serranópolis do Iguaçu, Ivo Roberti; de Matelândia, Rineu Menoncin; de Maripá, Anderson Bento Maria e de Guaíra, Heraldo Trento.
A reunião contou com as presenças do deputado estadual Nelson Luersen, coordenador da Frente Parlamentar em Favor da Reabertura da Estrada do Colono, do deputado estadual Marcel Micheletto, do diretor executivo da Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná), Beto Anisi, do jornalista Waldomiro Cantini (membro da Comissão de Reabertura da Estrada do Colono da região Sudoeste) e outras lideranças.
A ideia das lideranças regionais do Oeste e Sudoeste é contrapor a postura já contrariamente manifesta à reabertura por parte do senador capixaba Fabiano Contarato, presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) do Senado Federal.Fabiano esteve sobrevoando a Estrada do Colono e manifestou sua disposição em lutar contra a reabertura.
Neste sentido, o senador paranaense Alvaro Dias manifestou-se favorável ao tema, colocando-se à disposição para ser interlocutor do movimento pró-reabertura na Casa. A estratégia, agora, é confrontar os pareceres e reforçar a força da opinião pública sobre o tema. “Essa é uma bandeira de luta das mais antigas da Amop e não apenas dos moradores daqueles municípios diretamente atingidos, mas de toda a região. A voz dos moradores da região, que são os mais preocupados com a preservação do Parque Nacional Iguaçu, precisa ser ouvida”, disse Junior. “Chega de decisões de cima para baixo, que não levam em conta as necessidades e desejos da nossa gente”, observou o deputado Micheletto, recordando da luta de seu pai, o ex-deputado federal Moacir Micheletto, na causa. “Junto com os prefeitos da região sudoeste, os prefeitos da Amop estão buscando junto aos nossos representantes no Senado o apoio a esta causa”, disse o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos. “Queremos uma estrada ecológica que sirva de exemplo para o mundo e que seja sustentável sob o ponto de vista econômico e turístico”, comentou Luersen. O deputado também defendeu que o Ibama e o ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) administrem a estrada.
Paranhos também disse que hoje há mais maturidade e responsabilidade para tratar de temas ambientais relacionados à estrada que ligava as regiões oeste e sudoeste do Paraná. “Não é uma questão de exploração da estrada, mas uma necessidade de integração, com respeito ao meio ambiente”, disse.
A estrada
A proposta visa à criação de uma estrada-parque no percurso original, que corta o Parque Nacional do Iguaçu e liga Serranópolis do Iguaçu (oeste) a Capanema (sudoeste).
Segundo Alvaro Dias, o impacto será mínimo: 17 hectares afetados com a reabertura em 183 mil hectares - 0,010% do Parque. “Os prefeitos compensarão esse impacto com políticas no entorno, com preservação nesse cinturão, com reservas”.


Notícias relacionadas:

Comentários Comente essa notícia